terça-feira, 27 de novembro de 2012

You Are Everything


You Are Everything
Matthew West
Você é tudo
Sou o único com dois pés esquerdos
Caminhando numa rua solitária
Eu não consigo nem andar em linha reta
E toda vez que você olha para mim
Eu estou girando como uma folha de outono
Sujeita à bater fundo por algum tempo

Onde eu poderia estar sem alguém para me salvar
Alguém que não me deixe cair

Você é tudo pelo o que eu vivo
Tudo o que eu não consigo acreditar que está acontecendo
Você está parado bem em minha frente
Com os braços bem abertos
Tudo o que sei é que todo dia é cheio de esperança
Porque você é tudo pelo o que eu respiro
E eu não posso ajudar mas respire-se, e respire de novo
Sentindo toda essa vida dentro de
Cada batida do meu coração

Eu sou o único com grandes erros
Grandes lamentações e grandes pausas
Das quais eu jamais gostaria de confessar
Mas você é a pessoa que olha pra mim
E vê o que eu estava destinado a ser
Mais do que uma bela bagunça

 Você é tudo de bom na minha vida
Tudo de honesto e verdadeiro
E todas essas estrelas no céu
Jamais poderão brilhar tanto quanto você

Ela


Autoria:Caio Fernando de Abreu
"Ela é uma moça de poses delicadas, sorrisos discretos e olhar misterioso.
Ela tem cara de menina mimada, um quê de esquisitice, uma sensibilidade de flor, um jeito encantado de ser, um toque de intuição e um tom de doçura.
Ela reflete lilás, um brilho de estrela, uma inquietude, uma solidão de artista e um ar sensato de cientista.
Ela é intensa e tem mania de sentir por completo, de amar por completo e de ser por completo.
Dentro dela tem um coração bobo, que é sempre capaz de amar e de acreditar outra vez.
Ela tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Segredos -Frejat


Segredos
Frejat
Eu procuro um amor
Que ainda não encontrei
Diferente de todos que amei...
Nos seus olhos quero descobrir
Uma razão para viver
E as feridas dessa vida
Eu quero esquecer...
Pode ser que eu a encontre
Numa fila de cinema
Numa esquina
Ou numa mesa de bar...
Procuro um amor
Que seja bom prá mim
Vou procurar
Eu vou até o fim...
E eu vou tratá-la bem
Prá que ela não tenha medo
Quando começar a conhecer
Os meus segredos...
Hum! Hum! Huuuum!...
Eu procuro um amor
Uma razão para viver
E as feridas dessa vida
Eu quero esquecer...
Pode ser que eu gagueje
Sem saber o que falar
Mas eu disfarço
E não saio sem ela de lá...
Procuro um amor
Que seja bom prá mim
Vou procurar
Eu vou até o fim...
E eu vou tratá-la bem
Prá que ela não tenha medo
Quando começar a conhecer
Os meus segredos...
Hum! Hum! Huuuum!...
Hum! Hum! Huuuum!...
Procuro um amor
Que seja bom prá mim
Vou procurar
Eu vou até o fim...
Eu procuro um amor
Que seja bom prá mim
Vou procurar
Eu vou até o fim...

domingo, 18 de novembro de 2012

Carta pra alguém que nunca vai ler...


Cartas de amor,com certeza nunca foram minha praia...
Eu? um cara durão,que joga basquete,que anima a galera?
mas que quando está sozinho,gosta de te ver pelo telescópio,ali tão perto
do outro lado da rua,e ao mesmo tempo,em outro planeta...
eu não sou bom nisso,e espero que você nunca leia essas palavras
que escrevo agora...
Garota que eu tento entender,e tento não amar,nem sempre consigo
Garota maluca ,tão frágil,e ao mesmo tempo tão forte
tem a coragem de ser você mesma e isso é difícil as vezes,
Com suas botas de coturno,seus cabelos coloridos,e sua personalidade
tão intensa que transborda,não teme julgamento alheio.
A ovelha negra de uma família de comercial de margarina,
que faz dos livros seus melhores amigos,e da musica sua terapia.
Porque você não pode ser como as outras?porque tem que questionar tudo?
Eu não sou bom o bastante pra você...

Garota maluca,nunca faz o que os outros esperam,
não tem medo de se arriscar,eu te vejo se jogar de cabeça sem nunca
se arrepender,
As vezes eu invejo isso em você,mais acima de tudo admiro,
Vejo você brigar pelo que acredita,vejo você amar sem ter medo
de sofrer,
Te vejo indo pelo caminho estreito,ao contrario dos outros,
vejo rir de si mesma,tentando abraçar o mundo com as mãos,
Ninguém nunca te pediu pra ser assim,e ninguém se importa,
Seria até mais fácil ser igual aquela sua irmã fútil e oxigenada,
Mais não,você prefere preencher sua mente,ao invés do sutiã
atitude arriscada,mas eu gosto...
Prefere ver o mundo do seu jeito único,cheio de cores e formas,
cheio de cheiros e texturas,como uma grande jornada,uma aventura.
Eu levei algum tempo pra perceber,o que havia por trás de seus olhos
castanhos,e agora eu sei...
E é difícil não te amar por isso,mesmo sabendo que nossos mundos não se cruzam,
difícil não sentir vontade se segurar sua mão,de te trazer pra perto,te fazer pensar
em mim como eu penso em você,
Mas eu sei que nunca poderia me encaixar no seu mundo,eu sou cria de cativeiro,e
você um lindo pássaro raro e selvagem,precisa voar,cada vez mais alto,
e eu nunca iria te impedir,ou tentar te trazer pro meu mundinho ''careta'',
E eu nunca mudaria você,porque eu amo todas as suas formas,esse seu jeito
todo peculiar.
Podem se passar um milhão de garotas,mas nenhuma delas será igual a você.








terça-feira, 13 de novembro de 2012

Namore um cara que ...lê


Autoria:Luizandro Lima

Namore um cara que se orgulha da biblioteca que tem, ao invés do carro, das roupas ou do penteado.
Ele também tem essas coisas, mas sabe que não é isso que vai torná-lo interessante aos seus olhos.
Namore um cara que tenha uma pilha de três ou quatro livros na cabeceira e que lembre do nome da professora que o ensinou as primeiras letras. Encontre um cara que lê.
Não é difícil descobrir: ele é aquele que tem a fala mansa e os olhos inquietos.
Ele é aquele que pede, toda vez que vocês saem para passear, para entrar rapidinho na livraria, só para olhar um pouco. Sabe aquele que às vezes fica calado porque sabe que as palavras são importantes demais para serem desperdiçadas? Esse é o que lê.
Ele é o cara que não tem medo de se sentar sozinho num café, num bar, num restaurante.
Mas, se você olhar bem, ele não está sozinho: tem sempre um livro por perto, nem que seja só no pensamento. O rosto pode ser sério, mas ele não morde, não.
Sente-se na mesa ao lado, estique o olho para enxergar a capa, sorria de leve.
É bem fácil saber sobre o quê conversar. Diga algo sobre o Nobel do Vargas Llosa.
Fale sobre sobre as novas traduções que andam saindo por aí. Cuidado: certos best-sellers são assunto proibido.
Peça uma dica. Pergunte o que ele está lendo –e tenha paciência para escutar, a resposta nunca é assim tão fácil. Namore um cara que lê, ele vai entender um pouco melhor seu universo, porque já leu Simone, Clarice e –talvez não admita– sabe de memória uns trechos de Jane Austen.
Seja você mesma, você mesmíssima, porque ele sabe que são as complicações, os poréns que fazem uma grande heroína. Um cara que lê enxerga em você todas as personagens de todos os romances.
Um cara que lê não tem pressa, sabe que as pessoas aprendem com os anos, que qualquer um dos grandes tem parágrafos ruins, que o Saramago começou já velho, que o Calvino melhorou a cada romance, que o Borges pode soar sem sentido e que os russos precisam de paciência.
Um namorado que lê gosta de muita coisa, mas, na dúvida, é fácil presenteá-lo: livro no aniversário, livro no Natal, livro na Páscoa. E livro no Dia das Crianças, por que não?
Um cara que lê nunca abandonará uma pontinha de vontade de ser Mogli, o menino lobo.
E você também ganhará um ou outro livro de presente.
No seu aniversário ou no Dia dos Namorados ou numa terça-feira qualquer.
E já fique sabendo que o mais importante não é bem o livro, mas o que ele quis dizer quando escolheu justo esse. Um cara que lê não dá um livro por acaso. E escreve dedicatórias, sempre.
Entenda que ele precisa de um tempo sozinho, mas não é porque quer fugir de você. Invariavelmente, ele vai voltar –com o coração aquecido– para o seu lado.
Demonstre seu amor em palavras, palavras escritas, falas pausadas, discursos inflamados.
Ou em silêncios cheios de significados; nem todo silêncio é vazio.
Ele vai se dedicar a transformar sua vida numa história.
Deixará post-its com trechos de Tagore no espelho, mandará parágrafos de Saint-Exupéry por SMS. Você poderá, se chegar de mansinho, ouví-lo lendo Neruda baixinho no quarto ao lado.
Quem sabe ele recite alguma coisa, meio envergonhado, nos dias especiais. Um cara que lê vai contar aos seus filhos a História Sem Fim e esconder a mão na manga do pijama para imitar o Capitão Gancho. Namore um cara que lê porque você merece.
Merece um cara que coloque na sua vida aquela beleza singela dos grandes poemas.
Se quiser uma companhia superficial, uma coisinha só para quebrar o galho por enquanto, então talvez ele não seja o melhor. Mas se quiser aquela parte do “e eles viveram felizes para sempre”, namore um cara que lê. Ou, melhor ainda, namore um cara que escreve.