quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Tudo e nada


Autoria: Mess Meister/Wenier Meister


Ela
Eu já fui a primeira pessoa pra quem você ligava no meio da noite,
já fui a protagonista dos seus melhores sonhos,
Já fui o primeiro rosto que você via e o ultimo,
Quantas vezes você mergulhou no meu abraço como
se não houvesse mundo lá fora?
E os meus beijos tiraram seus medos.
Eu fui aquela voz que te acalentava quando nada mais fazia
sentido,
Era a mim que você procurava sempre que algo de bom acontecia,
ou mesmo quando nada acontecia,porque eu te tirava da monotonia,
Quantas vezes eu fui tudo pra você?

Ele...
Hoje me faz falta te liga toda manhã,
falta da sua voz,do seu cheiro,dos beijos
e até das brigas bobas...
Não me lembro do fim,mas do começo,
de como nos completávamos.
Me lembro do seu cabelo bagunçado
de manhã,do seu sorriso de garota levada,
doce e amarga ao mesmo tempo.
Você veio como um cometa que iluminou
minha noite escura,mexei com meus instintos
me deu taquicardia e me fez arrepiar era como
morrer e continuar vivo,mas foi o bastante?
O fim foi chegando como um vento que
antecipa a tempestade,será que foi real?

Ele...
Eu ja te fiz  perder o ar,
e também ja roubei suas noites de sono,
Ja te fiz chora quase tanto quanto te fiz rir,
Eu sou quem você lembra quando aquela
musica de amor toca, e você fecha seus olhos
e volta pra tudo que fomos em instantes.
Eu sou aquela voz que te fazia sorrir mesmo
sem vontade,aquele abraço que parecia te proteger
do mundo e quantas vezes você veio se esconder nele?
Eu fui aquele calor que aqueceu todas as suas noites solitárias,
quem ouvia seus poemas,musicas e sempre queria mais,
Quantas vezes eu fui tudo o que você precisava?
Será que foi o suficiente?

Ela...
Quando foi que tudo acabou?
e as coisas pararam de ter sentido?
Onde nossos caminhos se desencontraram?
Eramos tudo um pro outro e agora não somos
nada.
Me ensine a te olhar como se não te conhecesse?
Me faça não sentir como se não tivesse feito o bastante?
Se vou te esquecer?
um dia quem sabe...
Mais mesmo que  esse dia chegue,
essas paredes ainda contarão nossa história.















domingo, 22 de novembro de 2015

[...] Eu lembro, amor.


Autoria:Clarissa Correa 

[...] Eu lembro, amor.
De tudo, cada passo que a gente deu para as diversas direções que já fomos.

Lembro das brigas também.

Lembro de pensar que o amor é perfeito, que bobeira, o amor é pura imperfeição.

Perfeitos só os casais do comercial da Becel (sem sal)...

Lembro de já ter ficado triste por te deixar triste.

Lembro de me sentir mal com isso.

Lembro dos momentos em que a gente foi bobo e feliz.

Lembro que sou feliz a maior parte do tempo, pelo simples fato de você existir em mim.

Lembro de descobrir que um sentimento não serve para ser dito, como coisa que fica bem em filme ou texto, ele tem que ser vivido de forma plena.

Lembro de não conseguir me permitir sentir tanta felicidade assim.

Lembro da tua mão, que sempre acha a minha.

Lembro dos teus dedos, que sempre me fazem carinho.

Lembro da tua boca, que sempre me acalma.

Lembro do teu rosto de menino, que me olha como se ainda fosse aquela primeira vez.

Lembro de cada coisa que descubro, manias, gestos, pensamentos...

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Procura-se um amigo


Autoria:Desconhecido

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos,
basta ter coração.
Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir.
Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua,
do canto, dos ventos e das canções da brisa.
Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor..
Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo.
Deve guardar segredo sem se sacrificar.
Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão.
Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados.
Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar.
Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser,
deve sentir o grande vácuo que isso deixa.
Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo.
Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.
Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova,
quando chamado de amigo.
Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas
e das recordações de infância.

Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer,
para contar o que se viu de belo e triste durante o dia,
dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados,
de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver,
não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo.
Precisa-se de um amigo para se parar de chorar.
Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo,
para ter-se a consciência de que ainda se vive.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Fugitiva


De repente ela se cansou...
cansou dos nomes falsos,
de mudar de cidade em cidade,simplesmente pra tentar
uma vida nova,
ela decidiu parar e a quanto tempo não fazia isso?
Não podia se lembra,já não sabia mais nem quem a perseguia,
Tinha muito coisa que ela não se lembrava mais,
como a cor natural dos seus cabelos ou sua comida favorita,
já mentiu por tanto tempo que suas verdades se perderam no meio
de todas as histórias inventadas.
Ela queria voltar pra casa,mas a essa altura já não tinha mas
para o que volta,
só tinha o futuro pela frente,como um papel em branco
pronto pra ser escrito.
Ela ainda sabia fazer o que é certo?
Ela ainda tinha algum sonho guardado na manga?
tantas perguntas e a vida exigindo uma rota,e tudo
o que sabia e que não queria mais ser fugitiva,
mesmo que o preço fosse alto.
A quanto tempo que ela não sabia mais como era
ter um endereço fixo,ou sua própria mobiliá?
Ja não vivia em um hotel impessoal,ela já não tingia
os cabelos nem forçava sotaques estranhos.sua mala
ao contrario de sempre não estava arrumada a espera
da próxima fuga.
Ela se permitiu sair de casa e criar laços,
depois voltou cansada pelo esforço antes desconhecido
mas voltou feliz,
Agora faltava lembra quem ela realmente é,
precisa lembrar do que realmente gosta,
Ela tem um mundo que já não teme conhecer,
Mas antes ela precisa conhecer a outra,
aquela mulher refletida no espelho que por mais
que fosse familiar,foi a muito tempo esquecida...

sábado, 14 de novembro de 2015

Sobre series: The 100

Sinopse:
Quando uma guerra nuclear destruiu a civilização e o planeta Terra,
os únicos sobreviventes foram 400 pessoas que estavam em 12 estações espaciais em órbita.
97 anos e três gerações depois, a população já contava com 4 mil pessoas,
mas os recursos já são escassos.
Para garantir o futuro, um grupo de cem jovens é enviado à superfície
da Terra para descobrir se ela está habitável.
Com a sobrevivência da raça humana em suas mãos,
estes jovens precisam superar suas diferenças
e unir forças para cruzar juntos o seu caminho.


Minha Opinião: Comecei a ver essa serie porque me indicaram e logo no começo,
nos primeiros episódios eu já me envolvi,primeiro porque me pareceu bem original e
 também porque cada episodio sempre termina com uma ponta solta que faz com que
você queira ver os outros logo pra saber o que acontece,outra coisas que me chamaram a atenção
foram as personagens femininas que são muito bem representadas ali,só mulheres fortes
e isso não e tão fácil de se ver.
A serie tem elementos pra agradar vários públicos,tem ação, luta,também tem sua doze de mistério
e pra quem gosta de ver um casal tem vários pra serem (shippados) visto lá,
mas claro que de uma forma que não rouba a atenção do resto da história.
Alias difícil não se apaixonar pelos personagens que vão crescendo no decorrer da história,
Tem momentos que você não sabe quem ta certo e quem ta errado ali,até onde você
 iria pra sobreviver?
Essa e outras perguntas te vem a mente e claro um turbilhão de emoções.
Muitos já comparam ela com a serie Lost,realmente você acaba lembrando no começo
mas as comparações param por ai ( e espero que o final seja melhor também),acontece tanta coisa
na serie que você vai se ver indicando ela pro amigo,vizinho e até pro moço da padaria, vai por mim,
Alias a serie já tem duas temporadas e uma terceira confirmada pro ano que vem,vale a pena conferir!

                             QUE NOS ENCONTREMOS NOVAMENTE!!!


terça-feira, 10 de novembro de 2015

As coisas que não te disse


Eu nunca disse quantas vezes desejei beijar sua boca,
com medo de parecer fácil demais,
Nunca retribui todas a mensagens de afeto,mas reli
elas no meu pensamento um milhão de vezes,
Nunca retribui aquele café,nem segurei sua mão quando
tudo o que você espera era esse gesto meu,
Eu vaguei achando que teria como voltar e
achando que sempre estaria ali.
Achei que nada mudaria porque no fundo isso sempre
foi o que eu quis,esse era meu lugar.
Eu vi você se perder de mim achando que a qualquer
momento eu te traria de volta,
porque eu sempre voltaria pra você.
Mas não sabia que na sua mente tudo aquilo que fiz
pareceu o contrario do que eu realmente queria que você
pensasse.
Meu coração dizia uma coisa mais a boca dizia o contrario,
era obvio que você não tinha como saber,
Eu nunca disse que as horas que passamos juntos
foram a melhores que tive,
Nem disse que ninguém nunca me tratou tão bem,
eu que sou meio selvagem e acostumada com
as pedradas que a vida dá,
acabei reagindo como sempre faço...contra atacando,
Mas você não era como os outros,você me deu seu coração,
Me olhou como nunca pensei que alguém pudesse ver,
Você e mais importante  pra mim do que pensa,
Eu virei as costas eu não olhei pra trás,
Foi a coisa mais difícil que fiz e você nunca
vai saber de nada disso,
De tudo que eu queria te dizer e não disse,
de tudo que senti mas não deixei transparecer,
Como fazer da certo o que começou errado?
Espero que um dia você me entenda.